Halong-2BBay2
Já imaginou passar a noite em um barco em uma baía paradisíaca? Veja como foi nossa experiência!
Se você for para Hanói no Vietnã, dê uma esticadinha até Halong Bay, patrimônio mundial da Unesco. Fica a aproximadamente 150 km de distância da capital. É uma baía com cerca de 3000 ilhas que é de tirar o fôlego! Embora não seja tão longe, a viagem é cansativa. São pelo menos 4 horas de carro até o porto de embarque (isso mesmo, 150 km em 4 horas!). Eu tinha na cabeça aquela imagem da gente navegando praticamente sozinho nesse lindíssimo lugar. Aham… Eram dezenas de barcos fazendo o mesmo. Nesse post contamos como foi esse passeio com as crianças!


Halong Bay
Ainda ficou muito barco fora da foto. E eu achando que não ia ter muita gente…


Nós optamos por duas noites a bordo (veja outras opções de passeios aqui). O roteiro é semelhante em todas as empresas (usamos a Fantasea Cruises). Se fosse comparar com a classificação de hotéis, esse nosso barco seria equivalente a um hotel 3 estrelas.

Primeiro dia

Uma van nos buscou no hotel e passou para buscar os outros passageiros. O guia era simpático, falava um inglês compreensível e tentou interagir durante o trajeto. A viagem que era para demorar umas 4 horas levou mais de 5! Um grupo de dinamarqueses perdeu a van. Quando estávamos a 1 hora de Hanói, tivemos que parar e esperar por eles.

 
O tempo não estava dos melhores. A temperatura tinha caído para uns 20 graus e estava nublado. Antes de embarcar eu comprei um moletom nas lojinhas, já que o único casaco que levei na viagem ficou no hotel em Hanói. Mas quem usou esse moletom mesmo foi a Má, que é muito mais friorenta que eu.
 
Ao chegar no barco, fizemos o check in. Deixamos as coisas no quarto. As crianças adoram as novidades, né? Lucas mexeu em tudo. Já havíamos contado anteriormente que dormiríamos no barco. Agora foi só reforçar que esse seria nosso hotel nos próximos 2 dias. Deixamos ele escolher onde ia dormir. Foi super tranquilo.
 
Voltamos ao deck principal para almoçar. A comida era farta. Salada, arroz, peixe, frutos do mar, carne, batata frita e frutas (se você tem alguma restrição alimentar, informe a empresa antes).
 
Mal acabamos de comer e já nos preparamos para pegar o barco pequeno e visitar a caverna Sung Sot. Tinha muita gente! Uma enxurrada de turistas. Mas mesmo com esse tanto de gente, o lugar é lindíssimo! Não foi uma caminhada difícil, mas é uma caverna. Ou seja, algumas passagens eram estreitas. Outras, mais íngremes. Levei o Lucas no canguru algumas vezes.
Caverna Sung Sot (Cave) em Halong Bay
O jogo de luzes é muito bonito (embora difícil de fotografar rs)
Halong Bay
Halong Bay vista da caverna Sung Sot



Para envolver as crianças, nós brincamos um pouco de associar as formas das pedras com outros objetos. Contamos (inventamos) histórias sobre as estalactites e estalagmites. Lucas gostou.
 
Depois disso, navegamos até a caverna Luon para andar de caiaque. Fomos em um caiaque duplo: a Má com o Lucas e eu com o Thomas no canguru. Não deu certo. Durante as remadas respingava água no Thomas, que não gostou nenhum um pouco. Voltamos e a Má ficou com o Thomas no barco enquanto eu fui com o Lucas, que adora caiaque!
 
Essas foram as atividades do primeiro dia. Voltamos ao barco para jantar. Encontramos um casal que não havia embarcado com a gente. Será que eles também perderam a van? Na verdade eles já estavam no barco bem antes da gente. Essa era a segunda noite deles ali. Mas como? Deixa eu explicar. A operadora mistura o grupo que vai ficar uma noite com o que vai ficar duas noites a bordo. Provavelmente porque a demanda para ficar duas noites deve ser bem menor e não deve valer a pena ter um barco exclusivo para isso. Quando embarcamos na hora do almoço, eles estavam andando de caiaque, por isso não nos encontramos (não sei se todas operadoras fazem isso).
 
rolinho primavera a bordo em Halong Bay
Lucas fazendo spring roll

Antes do jantar ainda teve uma sessão de culinária local. Nos ensinaram a fazer o rolinho primavera vietnamita. Lucas também participou da atividade. Não queria parar de enrolar “pastelzinho”, como ele diria. Depois foi a melhor parte: comer o que tínhamos feito.



No jantar, novamente comida farta. Nós sentamos com dois malaios gente boa. Mas advinha o que brasileiros e asiáticos

Halong Bay com crianças
Nosso capitão mirim

têm em comum? Os dois povos amam arroz. Imagina a disputa pela tigela de arroz na nossa mesa? Dava tranquilamente para a primeira rodada. Mas na segunda rodada começava aquela troca de olhar silenciosa. Olho-no-olho. Olho-no-arroz. Quem vai pegar primeiro? A nossa mesa era a única que acabava arroz. Os europeus das outras mesas devem ter achado que não comíamos há alguns dias. Ainda mais quando eu virei para um deles e falei: “Vocês vão comer esse arroz que sobrou?”.

 
Após o jantar o guia podia ter tentado entreter o grupo. Ele só anunciou que tinha karaoke, cartas e jogos de tabuleiros. Acabou que ninguém se animou. Nós jogamos um pouco de ludo com o Lucas. Ele nunca tinha jogado e ainda é pequeno para entender as regras do jogo. Mas mesmo assim foi divertido jogar os dados e movimentar os peões. Logo fomos para a cabine colocar as crianças para dormir, pois no dia seguinte acordaríamos bem cedo. Os outros passageiros ficaram conversando.
 

Segundo Dia

Acordamos 6:30 para tomar café da manhã e visitar a praia Soi Sim. Juro que ainda não entendi o motivo de visitar a praia as 8 do manhã com uma temperatura nada convidativa. Até as lojinhas da praia estavam fechadas! Foi uma furada. Pareceu mais para “encher linguiça” no passeio. Nem a vista do mirante da praia justificava acordar as crianças tão cedo.

 
Após essa parada, separou-se o grupo. Quem fechou o pacote de uma noite ia voltar para o barco principal e de lá para Hanói. Nós fomos para um barco menor, mas que também tinha restaurante. Usamos esse barco o restante do dia enquanto navegávamos para diferentes lugares. Andamos de caiaque até a Bat Cave, que é uma caverna pequena, mas que dá para ver uns morcegos lá dentro.  Dessa vez a Má foi com o Thomas enquanto eu remava com o Lucas. Deu certo! Nós quatro aproveitamos o passeio.
Caiaque com crianças em Halong Bay
Sentimos falta de um colete salva-vidas para o Thomas
Caiaque com crianças em Halong Bay
Uma das cavernas que passamos com o caiaque



Paramos em uma cultura de ostras. Explicaram como funciona o processo para fazer pérolas. Claro que ao final da explicação tinha uma lojinha. Mas não foi dessa vez que a Má ganhou aquele tão sonhado colar de pérolas. 

Cultivo de ostras e pérolas em Halong Bay
Se você se esforçar vai conseguir ver uma pérola no meio da ostra


Durante a tarde também deu tempo para nadar. Mas como a temperatura não estava lá tão convidativa, nós não entramos na água. 

Depois ainda andamos de caiaque na  Dark&Light Cave. Embora esse trecho tenha sido longo (aproximadamente 1,5 hora), foi bem legal. Passamos também por vilas flutuantes, onde os pescadores moram em casas no meio do mar.

 
Voltamos ao barco principal (aquele que estavam nossas coisas). Não demorou muito para encontrarmos com o grupo novo. Dessa vez foram eles que se assustaram ao entrar no restaurante e nos ver. O guia também era outro, que já tinha mais dificuldade em falar inglês. Não dava pra perguntar nada fora do script.
 
Jantamos, mas dessa vez não competimos por arroz com outros asiáticos. Brincamos um pouco com o Lucas como na noite anterior e fomos para o quarto. Esse segundo grupo era mais animado. Chegou até a rolar uma baladinha lá em cima, mas não chegou a incomodar o sono das crianças.

Terceiro dia

Acordamos um pouco mais tarde. Tomamos café e fizemos o check-out do quarto. Navegamos até o porto. Ao desembarcar, esperamos uns 20 minutos até a van nos buscar. As crianças dormiram boa parte do trajeto de volta à Hanói.

 
Valeu muito a pena o passeio. O lugar é fantástico! Acho muito corrido para as crianças ficar apenas uma noite a bordo. Encontramos viajantes que foram para a ilha CatBa e gostaram bastante também. 
 
O que eu faria diferente? Se pudesse pagar, eu faria o passeio com uma empresa melhor. Além disso, eu tentaria ir em uma época um pouco mais quente.
 
Mas mesmo assim foi uma experiência incrível! E a nossa tão sonhada “noite sob as estrelas em Halong Bay” ficou mais para “noite sob as nuvens”.
E você, já visitou Halong Bay? Conte para gente nos comentários como foi! Conhece alguém que vai pra lá? compartilhe o texto com essa pessoa!

Observação: Lucas tinha 2,5 anos e Thomas tinha 7 meses quando fizemos esse passeio.