Saiba como foi ir de Sydney à Brisbane a bordo de uma campervan!

Pra quem gosta de rodar por aí com uma casa sobre rodas, a Austrália é o paraíso! Há diversas rotas! Nós escolhemos ir de Sydney à Brisbane.

Foi minha segunda experiência em uma campervan/motorhome e a terceira do meu marido. Fizemos África do Sul e ele já tinha feito leste europeu. Mas era a primeira vez que faríamos com nossos filhos. Na época, o Thomas tinha 9 meses e o Lucas pouco mais de 2,5 anos.

De Sydney à Brisbane de Campervan na Austrália com crianças

Nossa campervan na Austrália

Nesse post eu conto de lugares inusitados que visitamos entre Sydney e Brisbane e de um acontecimento inesperado que não gosto nem de lembrar! No final, eu também falo dos campings da Austrália, que tem uma infra-estrutura ótima.

 

Decidindo a rota

Eu sabia que ia fazer algum trecho do país de motorhome, mas não decidi antecipadamente qual seria. A Austrália fez parte da nossa viagem de 155 dias pela Ásia e Austrália. Nesse tipo de viagem não dá pra sair com todos os detalhes planejados, não é mesmo?

Ao decidir nosso roteiro na Austrália, a ideia inicial era fazer Melbourne-Brisbane de motorhome (+/-2000 km). Entretanto, precisaríamos de muitos dias e o preço do aluguel ficaria acima do nosso orçamento.

Ficamos em dúvida entre Melbourne-Sydney ou Sydney-Brisbane. As duas rotas têm paisagens lindas e cruzam parques maravilhosos! Mas como fomos no inverno (Junho), optamos pela segunda.

Passaríamos por mais praias. Além disso, eu acreditei que mais ao norte as noites não seriam tão frias (sabe de nada, inocente). Conto detalhes do nosso roteiro de 8 dias mais abaixo. Veja no mapa por onde passamos:

 

Dica: além de pesquisar sobre as diferentes rotas na internet, as empresas que alugam motorhome tem sugestões de rotas no site delas, como por exemplo a Apollo.  Passe também pela Informações Turísticas de Sydney e pegue catálogos e livros gratuitos sobre as rotas no estado (Nova Gales do Sul). Ou ainda, visite uma livraria e vá na sessão de guias de viagens. Há diversos livros sobre o tema “Austrália de motorhome”.

Guias gratuitos na Austrália

Exemplos do guia que pegamos gratuitamente na Austrália

Leia também:

Como alugar um motorhome na Austrália

Os 7 erros mais comuns de dirigir na mão inglesa.

Sydney com crianças

 

De Sydney à Brisbane de campervan

Tem pelo menos duas rotas que você pode fazer: pela costa ou pelos parques nacionais. Nós preferimos ir pela costa.

Depois de assinar os inúmeros papéis e receber as explicações básicas sobre o veículo, pegamos a estrada. Já tinha passado do meio dia e paramos para comer. Assim, pegaríamos a estrada e as crianças iam dormir. Mas com isso, deixamos para abastecer a campervan com comida quando chegássemos no destino – evite deixar as compras para depois (quer saber como fazemos com a alimentação das crianças nas viagens? Baixe nosso ebook gratuitamente aqui).

Ao voltar do restaurante, a campervan tinha um cheiro muito estranho. Estava fedida. Fomos investigar e esqueci de jogar uma “fralda radiotiva” do Thomas :S Mas como uma fralda poderia impregnar o ambiente?Mal sabia o que me aguardava…

Saímos de Sydney e paramos nas seguintes cidades (as distâncias são em relação à cidade anterior):

 

Nelson’s Bay (195 km)

Ligamos da estrada e reservamos um camping perto da praia. Chegamos pouco antes das 18 horas. O camping estava quase fechando. Fizemos o check-in e enquanto eu fiquei com as crianças na sala de jogos o Thales foi fazer compras (lembra que eu disse que não fizemos compras? Pois é…).

Ao voltar do supermercado com as compras, o Thales sentiu novamente aquele cheiro estranho no carro! Procurou, mas não encontrou outra fralda. Quando andava com a van, o cheiro passava (ou a gente se acostumava).

Montamos as camas, as crianças estavam eufóricas. Estava frio (uns 6 graus). Ligamos o aquecedor na tomada e nada! Uma das coisas que eu mais odeio é passar frio! Posso dormir em lugares frios (senão não moraria na Alemanha), mas tenho que estar agasalhada. Na África do Sul estava -5 graus e dormimos na campervan, mas eu estava preparada.

Tinha falado para o Thales que a van tinha que ter aquecimento. De tanto ele encher o cara da empresa ele nos deu um portátil. E agora, na primeira noite eu descubro que ele não funciona!! Já fiquei de mau humor.

O Thales dormiu com o Lucas na cama de cima e eu com o Thomas na cama de baixo. Usamos o saco de dormir, que até era para temperaturas até -5 graus. Mas passei frio mesmo assim. Eu não tinha agasalho suficiente para passar a noite num carro! A gente vinha de 4 meses de sudeste asiático. Clima tropical. Tínhamos um pouco de roupa de frio para não passar frio na rua, mas não para dormir ‘ao relento’. Pra piorar, o Thales tinha ‘capotado’ e estava roncando. Passei tanto frio que eu até chorava de raiva.

Meu humor piorou quando eu fui falar com o Thales na manhã seguinte e ele me fala que “tava um friozinho gostoso”. >:( Pra “melhorar”, a geladeira parou de funcionar durante a noite! Okay, não tinha estragado nenhum alimento, mas agora, além de passar frio, não dava pra contar com a geladeira.

Enquanto tomamos café, falei para ele resolver essas coisas. Sei lá, liga pra empresa, reclama. Não ia rolar dormir no frio. Mas o pior ainda estava por vir…

Depois do café, as crianças brincaram um pouco e o Thales foi desmontar as camas, colocar as cadeirinhas e guardar as coisas. O Lucas quis ver o que pai fazia e ficou brincando no banco do motorista.

De repente, o Lucas começa: “Papai, olha só… Olha papai”.

O pai estava lá todo atarefado, não deu muita bola e tentou desconversar. De tanto o Lucas insistir o Thales resolveu olhar.

De alguma maneira o Lucas colocou o encosto do banco do motorista para frente. Ao olhar para a direção que o Lucas apontava, ele viu um RATO morto atrás do banco do motorista! UM RATO!

E nós achando que aquele fedor era da fralda suja. Pobre Thomas! Era carniça mesmo. Agora imagina o meu humor: passei frio a noite, geladeira quebrada, inferno astral na véspera do meu aniversário (segundo o Thales rs) e dormindo num carro com um rato morto!

Pior que ele ligou para reclamar e a empresa falou pra gente voltar para Sydney para eles verem. Só tinha veículo menor no pátio e não iam dar o dinheiro da diferença de volta. E pra completar, ouvimos o que os australianos sempre falam: “No worries, mate. She’ll be all right” (algo do tipo, “relaxa, vai dar tudo certo”).

Arrrhg vontade de jogar a geladeira na cabeça do ‘mate’. Definitivamente não recomendamos a empresa Camperman!

Com o carro livre daquele cheiro e com os ânimos um pouco mais calmos, voltamos para a estrada. Mas antes conhecemos a praia de Nelson’s Bay. Bonita, mas o tempo não estava convidativo para eu esquecer a história do rato. Fomos até o mirante no alto da montanha. A vista era linda! Depois disso, seguimos viagem.

Praia em Nelsons Bay

Praia em Nelsons Bay

View Point em Nelsons Bay

View Point em Nelsons Bay

 

Port Macquaire (245 km)

Chegamos na cidade e fizemos check-in no camping. Por causa da história do rato eu decidi que não ia dormir mais na campervan. Todo nosso sonho de conhecer a Austrália de motorhome ia ficar para uma próxima aventura.

Sem querer, descobrimos uma alternativa. Os campings têm chalés ótimos para famílias! A partir daí, só ficamos nesses chalés.

Chalet em Camping na Austrália

Cabines ou Chalets em Campings – uma ótima alternativa à hotel

Chalet em camping na Austrália

O Chalet do camping por dentro

Depois do check in, rodamos pela cidade. Tem um centrinho de compras charmoso. Curtimos o final da tarde na marina.

No dia seguinte, paramos na praia Lighthouse Beach antes de seguir viagem. Mas o que tem lá, além de um farol? Fomos andar de camelo. Sim, camelo! Você sabia que tem mais de 1 milhão de camelos na Austrália? Foram levados na época da colonização e eles se adaptaram muito bem ao clima.

Eu e o Lucas andamos de camelo enquanto o Thales ficou com o Thomas. A praia é linda! Uma faixa de areia larga e praticamente deserta (pelo menos na baixa temporada). Mas estava frio para entrar no mar.

Andar de Camelo em Port Macquaire

Olha essa praia que linda!!

A cidade também tem um hospital de Koala, que rehabilita animais debilitados. Nós não visitamos pois já tínhamos marcados de ir no Santuário de Koalas em Brisbane com nossos amigos.

 

Coffs’Harbour (160 km)

Seguimos viagem e paramos em Coffs Harbour. Já tínhamos lido que essa cidade tinha bastante atração. Resolvemos ficar 3 noites. Fomos até a marina para ver o pôr do sol.

No dia seguinte fomos no parque Dolphin Marine Magic ver golfinhos. É um dos poucos lugares do mundo com certificado de respeito aos animais. Foi muito legal. Teve show de foca, golfinho, pinguim. O Thales até subiu no palco para participar do show! Ganhamos um beijo do golfinho e da foca! As crianças amaram!

Foca beijando criança

Lucas ganhou um beijo molhado da foca

Criança brincando com golfinhos

Brincando com golfinhos

Depois fomos para o Big Banana. Embora o nome seja bem estranho, é um lugar com diversas atrações. Você pode andar em uma pista de patinação no gelo, fazer uma guerrilha com armas de laser (Laser Tag), mini golf para os pequenos, o maior parque aquático do estado.

Mas nós fomos lá por outro motivo: para descer no Tobogan!! É uma pista cheia de curvas que desce a montanha. Enquanto o Thales ficou com o Thomas eu fui com o Lucas. Depois revezamos. O Lucas adorou! Quer dizer, não só ele… Veja no vídeo abaixo

 

Por último, dá para você ter um gostinho da Holanda em plena Austrália! No camping que ficamos (Clog Barn) tinha demonstração em como manufaturar os famosos tamancos holandeses (Clog). Mas o que mais encantou os meninos foi a vila holandesa em miniatura. Eles ficaram loucos com o trenzinho.

Vila em miniatura em Coffs Harbour

Miniatura da casa da Anne Frank

Criança com tamanco holandês

Acho que ficou um pouquinho grande!

 

 

Byron Bay (240 km)

Na verdade, nós ficamos em Lennox Head, já que os campings em Byron Bay estavam caros e cheios. E foi muito bom, porque nosso camping era demais! Ficamos no Big4 Holiday Park, uma rede muito boa!

Logo cedo passeamos pela costa em Lennox Head. Dava para avistar as baleias (eu conto sobre a migração das baleias no post sobre Sydney). Depois passamos o dia em Byron Bay. Fomos até o farol. Um lugar lindo para tirar fotos.

Farol de Byron Bay

Farol de Byron Bay

Praia ao lado do farol de Byron Bay

Praia ao lado do farol de Byron Bay

Praia de Byron Bay

Praia de Byron Bay

A praia também é muito legal. Muitas pessoas entre 20 e 40 anos (fui bem generosa nessa janela kkk). O clima da praia é super gostoso. A rua principal tem diversas lojinhas. Nós curtimos um pouco a praia, mas sem entrar no mar. O Lucas brincou bastante no parquinho. Depois jantamos e voltamos para o camping. E olha o que tinha no camping? Pula-pula! Diversão garantida para a criançada.

Pula Pula em Camping na Austrália

Pula Pula no camping Big4 em Lennox Head

 

Gold Coast (100 km)

Saímos de Byron Bay em direção à Brisbane, mas passamos o dia em Gold Coast. Essa cidade não é apenas o paraíso dos turistas, mas das famílias também. Tem diversos parques de diversão, como Warner Brothers, Dream World, Sea World e Wet’n Wild. Nós não fomos em nenhum. Preferimos aproveitar um pouco a praia.

A cidade é bastante badalada. Os prédios altos na orla da praia lembra Guarujá ou Balneário Camboriú. Nessa viagem nós estávamos mais a procura de praias vazias. Então nem planejamos em passar a noite no local. Mas pareceu bem legal, com bastante opção.

Praia de Gold Coast

Praia de Gold Coast

Acesso à uma praia em Gold Coast

Acesso à uma praia em Gold Coast

 

Brisbane (84 km)

Chegamos no final do dia em Brisbane. Reencontramos amigos queridos. No dia seguinte devolvemos a campervan sem burocracia nenhuma. Passamos 1 semana em Brisbane, mas esse é assunto para outro post.

 

Os campings da Austrália

A estrutura de campings da Austrália é muito boa! Há diversas opções. Mas fique atento ao horário de funcionamento da portaria. Alguns campings fecham as 18 horas. As vezes dá para pegar a chave depois desse horário. Outras vezes não tem como.

Nem todo lugar pode fazer free-camping. As regras variam de estado para estado. Esse site (clique aqui) tem bastante informação sobre as áreas free-camping.

Nós não reservamos com antecedência porque era baixa temporada. Não tivemos problemas. Um lugar com tomada custava entre $25=$35 AUD. É um preço relativamente bom, ainda mais nos campings que tinham infra-estrutura de hotéis 4-5 estrelas!

No infográfico abaixo eu falo de 2 apps que foram muito úteis. Um para achar Campings e outro para mostrar os próximos postos de gasolina. Devido às distâncias entre os postos, eu não deixava o tanque baixar de ¼.

 

Apps para roadtrip na Australia

Leia também os 5 apps de viagem que você precisa ter

Depois do nosso incidente com o rato, nós passamos a dormir nos campings, mas em chalés (Cabin, em inglês). Descobrimos uma ótima opção! A maioria tinha 1 sala, 1 quarto (pelo menos), cozinha e banheiro. Perfeito para uma família de 4 pessoas. Tinha até chalés para família maiores. E o preço? Os mais baratos custavam de 50 a 90 AUD. Pelo menos 30% mais barato que hotel. E ainda vem com aquele ótima infra-estrutura que comentei acima, com piscina, parquinho, etc.

Portanto, uma alternativa barata é alugar um carro (ao invés da campervan) e ficar nessas cabines.

A rede Big 4 é muito boa! Recomendamos. Só não ficamos mais nele porque era uns 20 a 30% mais caro que os outros. E como não tinha planejado gastar com acomodação durante esse trajeto, qualquer centavo economizado era bem vindo!

Outra rede muito boa é o Family Parks. Também recomendamos!

Essa foi nossa experiência de campervan na Austrália. Passamos uma semana no trajeto de Sydney à Brisbane e dava até para ficar mais tempo. Foi diferente do esperado, mas mesmo assim muito divertido! O país tem uma estrutura excelente para acampar.

Se tiver alguma pergunta, deixe nos comentários que eu tento ajudar.